Bem-vindos!





sábado, 8 de junho de 2013

Um conto e seus possíveis gêneros textuais


PÉ-NO-CHÃO
Monteiro Lobato

Fica no extremo da rua o Grupo Escolar, de modo que a meninada passa e repassa à frente da minha janela. Notei que muitas crianças sofriam dos pés, pois traziam um no chão e outro calçado. Perguntei a uma delas:
__ Que doença de pés é essa? Bicho arruinado?
O pequeno baixou a cabeça com acanhamento, depois confessou:
__ É inconomia.
Compreendi. Como nos grupos não se admitem crianças de pé no chão, inventaram as mães pobres aquela pia fraude. Um pé vai calçado, o outro, doente do imaginário mal crônico, vai descalço. Um par de botinas dura assim por dois. Quando o pé de botina em uso fica estragado, transfere-se a doença de um pé para outro, e o pé de botina de reserva entra em funções. Destarde, guardadas as conveniências, fica o dispêndio cortado pelo meio. Acata-se a lei e guarda-se o cobre.
Benditas sejam as mães engenhosas!

PROPOSTAS DE ATIVIDADES

1) Reescrever a história do ponto de vista de um dos personagens.
2)  Simular um diálogo entre os alunos sobre a situação vivenciada.
3)  Criar um  relato do personagem carente do conto.
4) Escrever outro conto que mostre outros problemas  vivenciados em uma escola localizada em um  bairro de classe alta.
5)  Resumir  o texto.
6)  Descrever a escola de forma objetiva.
7) Imaginar  uma conversa entre os alunos e escrevê-la.
8)  Elaborar um documento que represente as normas escolares da referida escola.
9)  Elaborar um  abaixo-assinado no qual as mães protestam contra as normas escolares.
10) Elaborar uma entrevista com o diretor da escola.
11) Denunciar o fato através de uma notícia de jornal.
12) Apresentar argumentos a favor  e contra a rigidez das normas escolares através de um artigo de opinião.
13) Pesquisar no ECA os direitos da criança e do adolescente, comparar com a situação do conto e elaborar um texto  argumentativo indicando quais artigos foram desrespeitados.
14)Elaborar uma paródia do conto.
15) A partir do conto, enumerar alguns temas e desenvolver uma crônica argumentativa.
16)  Elaborar um bilhete do pai de um dos alunos para o diretor da escola fazendo uma reclamação sobre as normas escolares.
17) Elaborar uma carta do narrador para o diretor posicionando-se contra as normas escolares.
18) Elabore a resposta da carta do diretor para o narrador.
19)  Elaborar um texto poético  ou acróstico sobre o  conto.
20)  Transforme o conto num poema de cordel.
21) Elaborar um gibi com o enredo do conto.
22)  Elaborar uma tira ou  charge  que retome o tema do conto.
23) Criar uma propaganda sobre a escola.
24) Escrever como seria um discurso de um político sobre o fato.
25) Escrever como o jornalista Gil Gomes relataria esse fato em um programa de rádio.
26)Criar e ensaiar uma peça de teatro baseada nesse conto e apresentá-la na sala.
27) Produzir um filme a partir do  conto.
28)  Pesquisar sobre vida e obra de Monteiro Lobato e escrever uma biografia.
29)   Produzir uma resenha crítica sobre o conto.
30) A partir do conto, enumerar alguns temas para um debate em sala de aula.
31) Elaborar um Email  para o autor do conto (Monteiro Lobato), opinando sobre a obra.
32) Criar um blog com fórum e debater o tema do conto.
33) Divulgar o fato do conto em redes sociais com  postagens verbais e não verbais (Facebook) e em comunidade(Orkut) e observar a reação das pessoas.   

Obs. Essa atividade foi elaborada por mim há vários anos, embora nessa útlima versão eu tenha feito algumas alterações acrescentando mais itens. Entretanto aparece em vários blogs porque eu passei para várias amigas nos cursos em que fizemos e elas postaram.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                           

Um comentário:

Isabelly Santos disse...

esse texto possui uma linguagem bem complexa,não o entendi muito bem ! adoraria que a sra. o explicasse para mim ^-^